Audiência pública discute a preservação do Cine Excelsior em Juiz de Fora

Matéria publicada no Portal Megaminas.com, no dia 23 de abril de 2012.

Reunião teve a participação de técnicos da Prefeitura e de pessoas ligadas à cultura na cidade

Por MGTV TV Integração

de Juiz de Fora

 

Um bem cultural com 54 anos de história e que há 18 está fechado. O Cine Excelsior, em Juiz de Fora, volta a ser discutido. Desta vez, em uma audiência pública da Câmara Municipal. As obras para a construção de um estacionamento no local estão paradas e a espera é pelo tombamento do edifício como Patrimônio Cultural da cidade.

A audiência teve a participação de várias pessoas ligadas à cultura em Juiz de Fora, todos a favor da preservação do Cine Excelsior. Também participaram técnicos da Prefeitura.

Durante a reunião, e Secretaria de Atividades Urbanas foi criticada. Alguns vereadores propuseram a desapropriação do imóvel com base no interesse cultural da cidade. Esta seria uma forma de evitar que o cinema desapareça.

Entenda o caso: Cine Excelsior comemora 54 anos de fundação em Juiz de Fora

O cinema inaugurado em 1958, com capacidade para mais de 1.000 pessoas, está fechado desde 1994. Apesar da importância afetiva para muitos juizforanos o espaço não é tombado pelo Patrimônio Histórico. O pedido de tombamento foi feito, mas não foi acatado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural. E foi aí que começou a polêmica.

Os donos tentaram transformar o local num estacionamento. As obras começaram no ano passado, mas foram embargadas pela Prefeitura no dia 28 de dezembro. O argumento foi a falta de laudos que confirmem a capacitação do antigo cinema de virar estacionamento e a preocupação com a circulação de veículos na Avenida Rio Branco.

Durante a audiência duas propostas ganharam destaque: a que cria um projeto de lei declarando o espaço de interesse cultural e outra, pedindo a desapropriação do imóvel com base no interesse para cidade.

Segundo a assessoria de comunicação da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), o valor histórico e arquitetônico do cinema é avaliado para o processo de tombamento. Depois que o parecer do relator for dado, uma votação vai definir pelo tombamento ou não do cinema.

Fonte: Portal Megaminas.com


Leia o post anterior:
Capa 2012-04-04
Proprietários têm 30 dias para contestar tombamento

Matéria publicada no TER Notícias, de 4 de abril de 2012.

Fechar