Alguns comentários no perfil do Facebook

Alguns comentários no perfil de Alessandro Driê no Facebook.

Foram suprimidas as imagens e alguns links para economia de espaço, de modo a facilitar a leitura. Da mesma forma que em outros posts, os comentários foram copiados exatamente como estão na página de origem. Seguem comentários copiados de 4 posts.

Consulta em 05/12/2011 – 09h30

Alessandro Driê

As cadeiras do antigo Cinema Excelsior foram retiradas do espaço. Há algumas semanas, as poltronas, que presenciaram a ebulição do local nas décadas de 1950 e 1960, estavam anunciadas para venda. Especula-se que no local possa virar um estacionamento.

 

Informações extraídas do grupo História do Cinema Brasileiro [historia.do.cinema.brasileiro@groups.facebook.com]

26 de Novembro às 14:29

Aline Freitas é um assunto delicado…sempre fui tachada de louca porque passava pelo excelsior e ficava respirando na grade p sentir o cheiro que eu sentia quando frequentava o cinema. não acho justo falarem nada a repeito dos novos donos,eles não são c…Ver mais

26 de Novembro às 15:12

Aline Freitas juiz de fora não tem capacidade de preservar nada!o que dirá um cinema desse tamanho. nosso festival de cinema começa segunda feira e faz 10 anos. e dai? quem se importa?por muito pouco não teríamos festival esse ano!ninguém quer invés em cultura aqui! só se pensa em roupas e fast food!

26 de Novembro às 15:19

Aline Freitas amo minha cidade, amo tanto que preciso reconhecer o buraco está virando isso aqui!não adiantar tombar e não cuida!a coisa vira um elefante branco assim!

26 de Novembro às 15:23

Aline Paiva ‎:………………………..(

26 de Novembro às 16:58

Gustavo Hallack Não curti…

26 de Novembro às 20:46

Mônica Ribeiro sem palavras! há uns meses passei em frente e perguntei pra algumas pessoas o que ia acontecer, com aquele espaço fechado por tanto tempo. aí está. como disse bem a Aline Freitas, é complicado falar no assunto de maneira passional, como sem…Ver mais

27 de Novembro às 09:34

Franco Groia http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdNoticia=189042%2COTE&IdCanal=6

27 de Novembro às 11:56

Mirella Foini Mônica Ribeiro e a imprensa de Juiz de Fora? onde fica nessa históiria? o que noticia, e o que não, a respeito desta história para seus cidadãos?

27 de Novembro às 13:16

Mirella Foini Minha mãe só fala nesse Cinema! É do tempo de mocinha,dela em JF.

27 de Novembro às 13:57

Mirella Foini MONICA RIBEIRO: a Imprensa Falada em JF, NÃO É FILIAL DA REDE GLOBO, COMO ALGUNS EPTVs- MGTVs regionais. AQUI TEM DONO! Vai pro ar, o q convém! A parte da agua com açúcar. Tente fazer uma Denuncia, de um médico famoso,etc,pra ver se vai pro ar! É de chorar,politica, hipocrisia.

27 de Novembro às 14:11

Mônica Ribeiro é, mas te digo com propriedade, porque lido com a imprensa da Grande São Paulo – não há tanta diferença em relação à abordagem das coisas, nada é isento. A diferença é que aqui, cada vez mais, a opinião pública conta muito e é levada em consideração pela imprensa. Já em Juiz de Fora…

27 de Novembro às 14:38

Franco Groia Não entendo pq que em JF as coisas são assim… mas olha a diferença de outras cidades, por ex. no Rio: http://oglobo.globo.com/cultura/cine-paissandu-reabre-em-2012-com-palco-para-shows-nova-sala-de-cinema-2786623

27 de Novembro às 14:43

 

Mayla Martins Muito triste…de chorar…os melhores filmes da minha infância assisti no Cine Exelcior

27 de Novembro às 14:46

Mônica Ribeiro Franco, aqui em São Paulo há vários grandes cinemas no centro, alguns tentando se recuperar e não tendo tanto êxito, e outros abringando cines pornôs informais ou transformados mesmo em estacionamento. poucos, se relacionarmos todos os grandes do centro, conseguiram. o Marabá é um deles, mas já li que a frequencia está aquém do esperado, porque as pessoas preferem, infelizmente, cinema em shoppings… http://cinemaraba.wordpress.com/

27 de Novembro às 14:54

Franco Groia O problema neste caso, Mônica, é a modificação do centro de sp e os prostíbulos, a cracolândia (q era bem próxima) etc

27 de Novembro às 21:16

Mirella Foini MÔNICA, EM JF, NEM A OPINIÃO PUBLICA, NEM DENÚNCIAS COM PROVAS SÃO LEVADAS À MIDIA PELA IMPRENSA FALADA,QDO SE TRATA DE ‘GRANDÕES” POR TRÁS DAS PODRIDOES! FATO ! Aqui é pra vovó e a criançada assistir! ( jf tem que mandar pra emissora do Bispo!)

27 de Novembro às 21:47

Franco Groia

Escrevi agorinha que, por acreditar muito que tudo vale a pena e que, só desta maneira, ainda poderemos reverter o atual ostracismo em que acabou deixando o Cine Excelsior no esquecimento. Estou certo que este movimento em pról deste import…Ver mais

27 de Novembro às 21:55

Leo Ribeiro Quando produzi minha primeira animação, em 2003, já me preocupava o desleixo dos bens arquitetônicos e históricos na cidade. O filme, uma paródia da fábula dos três porquinhos, mostrava a ganância de três porcos construtores em derrubar a última casa antiga da cidade, moradia do Lobo Guará. Em 2009, quando soube da derrubada de mais um casarão na Rio Branco, pensei que era hora do Lobo voltar e martelar mais uma vez esse assunto lamentável. Ao saber do triste desmanche do Cine Excelsior, aqui na lista, vejo que a depredação do patrimônio arquitetônico da cidade persiste e em ritmo constante. O irônico é que já estava pensando em um terceiro curta do Lobo guará. Dessa vez os porcos iriam invadir um cinema de rua, e fundar uma igreja neo pentecostal no lugar. O lobo chegaria e acabaria com a raça desses porcos capitalistas. Pena que o Lobo só exista dentro dos filmes e não na vida real. Em tempo, as animações do lobo serão exibidas no dia 03 de dezembro, durante o Primeiro Plano. Quem quiser aparecer será bem vindo. Acho que pode ser um momento da comunidade cinéfila se reunir e fazer um protesto. Abraços.

28 de Novembro às 15:06

Mônica Ribeiro Franco, o problema com o centro de São Paulo não é só esse. Como te disse, passa também pelo fato de as pessoas preferirem cinema em shopping, onde assistir a um filme deixa de ser uma experiência específica e se torna mais uma ação de consumo, dentre tantas que se faz dentro de um shopping. mas daí a discussão já é mais embaixo e a realidade é outra. voltando a JF, talvez boa pessoa pra ajudar na conversa seja o Flávio Cheker

28 de Novembro às 16:44

——————–

Alessandro Driê Desculpem-me aqueles que não gostam de ser marcados, acho essencial que possamos realizar alguma mobilização.

26 de Novembro de 2011 às 13:36

J P de Oliveira Lamentável

26 de Novembro de 2011 às 13:36

Manu Vaccarini Que absurdo…. gente ignorante pra fazer isso! Só mesmo alguém tão sem memória, sem história e pior, sem cultura pode ser tb tão insensível e imbecil pra uma atitude dessas! Vamos sim fazer algo… claro!

26 de Novembro de 2011 às 13:40

Demetrius Coutinho ‎…

26 de Novembro de 2011 às 13:45

Flavia Lima umas das melhores lembranças da infancia! aquele cinema era tudo!!! Honrada pela marcação, Alessandro Driê!

26 de Novembro de 2011 às 13:45

Felipe Moratori Não estou acreditando isto está atrás daquela grade!!! Movimentação pública já!

26 de Novembro de 2011 às 13:45

Demetrius Coutinho é tarde!

26 de Novembro de 2011 às 13:46

Felipe Moratori aiai… =/

26 de Novembro de 2011 às 13:48

Alessandro Driê Achei que eu ia passar o sábado marcando as pessoas nas poltronas do Cine Excelsior. Mas estourei o limite do Facebook…

26 de Novembro de 2011 às 13:53

Manu Vaccarini q saco, num dá pra fazer nada Demetrius Coutinho? Fiquei sabendo só agora…

26 de Novembro de 2011 às 13:54

Mariana Brandao ‎”Sem interesse cultural” é uma piada!

26 de Novembro de 2011 às 13:54

Mariana Brandao Lamentável mesmo!

26 de Novembro de 2011 às 13:55

Lilian Miranda Quem perdeu com isso foi a cidade e seus moradores! O que será que vai ocupar o lugar das cadeiras?

26 de Novembro de 2011 às 13:55

Manu Vaccarini Carros e ignorância

26 de Novembro de 2011 às 13:55

Leandro Braga Pelo que li, o arquiteto Armando Favato é o responsável pelo Cine Excelsior. Estou em Caratinga e faço parte do Conselho de Patrimônio Histórico, tombamos o Cine Brasi daquil, também feito por ele. Mas ainda está em porcesso. Estamos em pé de guerra com os donos do cinema. Se alguém tiver informação do Armando Favato, irá nos ajudar na defesa. Grato!

26 de Novembro de 2011 às 13:58

Zé Roberto Em breve, vai virar mais um estacionamento!

26 de Novembro de 2011 às 14:01

Demetrius Coutinho ‎Manu, eu não tenho nenhuma informação além do texto. O que me leva a entender que é tarde é a parte do texto que diz: “e foi destruído em poucos dias…” Acho perfeitamente plausível essa informação uma vez que, as pessoas dessa cidade, gostam de fazer as coisas do jeito mineiro, ou seja, sem chamar a atenção.

26 de Novembro de 2011 às 14:02

Gueminho Bernardes Que o Conselho do Patrimônio considerou sem importância eu já sabia. Essa informação, porém, de que foi “totalmente destruído” é verdadeira? Alguém conferiu in loco?

26 de Novembro de 2011 às 14:03

Gueminho Bernardes Conheço o dono de lá e ele admitiu a ideia de reabrir como casa de espetáculos. Vou checar essa informação na segunda.

26 de Novembro de 2011 às 14:07

Demetrius Coutinho Salvar as paredes e o teto já alguma coisa. Mas virar estacionamento é chutar o balde

26 de Novembro de 2011 às 14:14

Albuquerque Júnior ‎[a igreja universal (IURD) tentou comprar há mt tempo, mas não venderam… parecia, na ocasião, haver ainda interesse no resgate de alguma coisa que poderia ser chamada de ‘objeto cultural’, sei lá… mas não dá em nada, mesmo!]

26 de Novembro de 2011 às 14:14

Albuquerque Júnior ‎[mas esse balde vai dar muita grana pro proprietário, né… balde de ouro!]

26 de Novembro de 2011 às 14:15

Albuquerque Júnior ‎[será que o K2 vai pra lá? kkk²]

26 de Novembro de 2011 às 14:17

Manu Vaccarini Gente, to besta… Gueminho Bernardes consegue verificar a precisão dessas informações? Alguém tá aí perto pra tentar saber como tá lá, se tá totalmente destruído? Franco Groia, vc tem acesso a isso? Demetrius Coutinho, ainda quero acreditar que nem tudo está perdido… Leandro Braga, ótimo saber do seu trabalho. Vamos tentar comprar essa briga tb??? Vou procurar saber sobre o arquiteto de lá…

26 de Novembro de 2011 às 14:21

Demetrius Coutinho O unico filme que eu assisti ali foi um “A Hora do Pesadelo” e era 3D!

26 de Novembro de 2011 às 14:21

Demetrius Coutinho Se não tem mais jeito, o]nde vão vender essas cadeira? Eu quero uma!

26 de Novembro às 14:24

Albuquerque Júnior ‎[As cadeiras devem compor um novo cenário no Parque Halfeld. Uma pista de dança para a melhor idade deve ser montada ao lado das mesas de xadrez. O restante pode ser alocado para alguma obra da Prefeitura, ou a uma diocese dessas aí!]

26 de Novembro às 14:28

Marcos Marinho descobri a maravilha dos filmes do FELINI neste cinema… todos os meus primeiros filmes assisti ali, eu e toda a minha geração… ainda sinto até o cheiro do lugar… como assim “não tem interesse cultural”?

26 de Novembro às 14:30

Alessandro Driê ‎Gueminho Bernardes, postei outras imagens no meu álbum de fotos, algumas com as cadeiras dentro de um caminhão. Há uma foto do jornal Tribuna de Minas, inclusive.

26 de Novembro às 14:31

Marcela Casarin tenho VERGONHA dessa cidade.

26 de Novembro às 14:39

Manu Vaccarini Não tenho vergonha da cidade neguinha, até tenho mto orgulho, principalmente da história dela… tenho vergonha de algumas pessoas e algumas atitudes idiotas

26 de Novembro às 14:42

Demetrius Coutinho Não. Eu tenho vergonha sim. Essa cidade que você ta falando, Manu já não existe mais. A que a gente vive é outra completamente diferente. E o que é uma cidade, se não as pessoas que vivem nela.

26 de Novembro às 14:45

Manu Vaccarini Mas tb tem pessoas aqui que podem mudar esse panorama, mas pra isso precisam se movimentar e não ficar sentado olhando e balançando a cabeça negativamente. Pq isso é fácil…. Então ainda acredito na cidade e acredito em algumas pessoas… o momento é crítico e essa percepção é difícil, mas eu não tenho vergonha de JF por causa de uns estúpidos.

26 de Novembro às 14:49

Charles Machado Mais um Absurdo na cidade dos” CORONÉIS”!! Nunca fui neste cinema,mas na foto da pra ver que sua arquitetura marcou décadas de exibições,marcou história.é falta de respeito isso que fazem com a cultura em jf.Lamentável!

26 de Novembro às 14:58

Marcos Marinho vergonha eu não tenho, mas que JF tá ficando uma cidade sem carater, feia, suja… e apagando sua história desde a arquitetura até os movimentos artisticos e sociais…ah! isso está.

26 de Novembro às 15:00

Marcos Marinho NA CARAVANA DE PALHAÇOS que promovemos desde 2007, dia 17 de dezembro faremos um CORTEJO(palhaceata). Uma das ações deste cortejo será uma grande “choradeira” dos Palhaços na frente do Cine Excelcior!

26 de Novembro às 15:04

Franco Groia Informações que chegam é q o novo proprietário já tem, inclusive, alvará para abrir um estacionamento!!

26 de Novembro às 15:34

Alessandro Driê Que triste!

26 de Novembro às 16:27

Gian Martins Infelizmente parece, pelas informações aqui recebidas, que o processo já está avançado e talvez não seja possível nos mobilizarmos para parar. Quem pode nos trazer informações concretas? Mas estou junto com a Manu no pensamento de que o balanço da cidade depende de nós. Nós temos que ser a mudança que queremos para o mundo.

26 de Novembro às 16:27

Manu Vaccarini Sinceramente não sei mais o q dizer ou o que é possível fazer, se é q é possível fazer algo ainda.

26 de Novembro às 17:00

Maria Clara Absurdooooo….

26 de Novembro às 17:34

Saulo Padilha vcs estão “apenas” 17 anos atrasados.

26 de Novembro às 17:59

Alessandro Driê Toda a história está aqui: http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/cinema-excelsior/

26 de Novembro às 18:04

Rosângela Dilly Lamentável!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

26 de Novembro às 19:12

Alessandro Driê http://www.historiadocinemabrasileiro.com.br/cine-excelsior-passa-por-obras-em-juiz-de-fora/

26 de Novembro às 19:27

Nilséa Maria Eiterer um absurdo. Acabarem com um Cinema em Juiz de Fora. É bem capaz de construirem um edifício

26 de Novembro às 19:33

Natalia Delmonte Lamentavel!

27 de Novembro às 01:36

Cacinho Anima Carmaba, só agora entrei na net.. realmente LAMENTÁVEL, não sou de JF, nunca entrei neste cinema, mas é uma pena ver um espaço cultural e histórico, virar estacionamento… em minha cidade os dois cinemas acabaram, há uns 20 anos, realmente não dá pra entender

27 de Novembro às 08:16

Cacinho Anima me sinto muito honrado de estar sentado ali viu Alessandro Driê

27 de Novembro às 09:08

Pedro Salim eu vi congo la

27 de Novembro às 12:11

Franco Groia http://www.otempo.com.br/otempo/noticias/?IdNoticia=189042%2COTE&IdCanal=6

27 de Novembro às 12:50

Mônica Ribeiro http://www.tribunademinas.com.br/cultura/poltronas-s-o-retiradas-do-antigo-cine-excelsior-1.987621

27 de Novembro às 13:21

Mônica Ribeiro dar nome aos bois ajuda as pessoas a se mobilizarem…a matéria publicada pela Tribuna no dia 17/11 já dizia sobre a retirada das cadeiras e, mais feliz do que a d’O Tempo, dava os nomes – “O empresário Ricardo Arbex, proprietário da loja T…Ver mais

27 de Novembro às 13:26

Franco Groia Mônica, o fato é que a tal resolução negativa (sobre o tombamento) da reunião do COMPAQ não foi comunicada ao autor-proponente do processo e ainda 3 outros pedidos de informação sobre a matéria não foram respondidos ao vereador. Enquanto isso, o proprietário teve tempo p se mexer e se munir de documentação p as obras no espaço.

27 de Novembro às 13:37

Mônica Ribeiro é Franco, algumas coisas não mudam mesmo em Juiz de Fora. mas a gente, e não me excluo do processo, se perde nas coisas do dia a dia, não menos importantes, porque dizem respeito à nossa vida individual, à nossa sobrevivência, e se desliga …Ver mais

27 de Novembro às 13:45

Manu Vaccarini Ou seja, só se fica sabendo de uma coisas dessas em JF qdo já está acontecendo. Mta gente safada aqui que quer transformar JF em qq coisa, menos uma cidade com história. Qtas construções mais serão destruídas pra virar estacionamento??? Ser…Ver mais

27 de Novembro às 13:49

Franco Groia Pois é, mas sou um otimista! Só a mobilização real fará algo pela Causa! Só depende de nós mesmos!

27 de Novembro às 13:49

Manu Vaccarini Com certeza… o lance é voltar àquelas mobilizações de ir uma turma pessoalmente e fazer o que for preciso pra o que tiver acontecendo. Precisamos ter uma boa turma responsável por fazer esse levantamento de patrimônios em JF, que correm o…Ver mais

27 de Novembro às 13:58

Carol Almeida Que notícia triste.

27 de Novembro às 14:02

Mônica Ribeiro concordo, Franco! Manu, o Permear não atuava junto ao Patrimônio da cidade? O que foi feito dele?

27 de Novembro às 14:03

Manu Vaccarini Sinceramente não sei o que o Permear tem feito Mônica, mas pelo visto não ta resolvendo mta coisa ultimamente, pq nossa arquitetura tá indo embora, pra dar lugar a estacionamentos.

27 de Novembro às 14:07

Manu Vaccarini Pra quem quiser saber mais informações sobre o Permear (bem lembrado pela Mônica): http://www.permear.com/

27 de Novembro às 14:09

Erika Campos lamentável….assisti muitos filmes aí…bons tempos!!!!

27 de Novembro às 15:13

Gian Martins Realmente lamentável, e mais difícil lugar contra um processo já em estágio avançado. Mas é nosso dever mostrar nossa indignação, e insatisfação!

27 de Novembro às 16:47

Carlos Henrique Pereira Se cinemas deste tamanho não são mais lucrativos, poderia ser convertido num teatro de uso multiplo, musica, teatro e shows, além de cinema. Ja esta la, e é maravilhoso. Falta criatividade aos empreendedores locais…estacionamentos sao necessarios, mas não precisa destruir isso.

28 de Novembro às 18:38

Alessandro Driê http://coletivosemparedes.wordpress.com/2011/11/27/o-nao-belo-desmonte-do-cine-excelsior-de-juiz-de-fora/

29 de Novembro às 13:06

Alessandro Driê http://www.francogroia.com.br/saida-real-para-o-cinema-excelsior-bndes/

29 de Novembro às 13:09

Marcelo Crocco Salvem o Cine Excelsior, mas salvem mesmo!!!!

30 de Novembro às 09:50

Alessandro Driê O Cine Excelsior jé tem uma página no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Cine-Excelsior/270119763038780?ref=notif&notif_t=fbpage_fan_invite&sk=wall

30 de Novembro às 14:52

Alessandro Driê Foi criado o abaixo-assinado na versão online:

 

«Salvem o Cine Excelsior – O Maior Símbolo do Cinema de Juiz de Fora»

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N17355

 

Nós, produtores culturais, cineastas, brasileiros, cidadãos de Juiz de Fora (MG)…Ver mais

30 de Novembro às 16:24

Manu Vaccarini ASSINADO E COMENTADO

30 de Novembro às 16:31

Marcos Marinho assinei, comentei e enviei para uma lista enorme de amigos.

30 de Novembro às 17:32

Cacinho Anima opa. to dentro.. enviei também.. e Marcos Marinho, quero estar na Caravana hein.. abraços

30 de Novembro às 19:07

——————–

Alessandro Driê Desculpem-me aqueles que não gostam de ser marcados, acho essencial que possamos realizar alguma mobilização.

26 de Novembro às 14:05

Christiano Sauer Isso é um crime gravíssimo!! Quem são estes do Conselho do Patrimônio Cultural?

26 de Novembro às 14:11

Camila Botti É a nossa Juiz de Fora sem memória, sem alma….

26 de Novembro às 14:19

Anesley Pereira Absurdo!

26 de Novembro às 14:21

Sandra Sato Sou solidaria, Driê… =(

26 de Novembro às 14:23

Vinicius Fortes Que patrimônio? Os de Juiz de Fora não conhecem essa palavra. Nem arquitetônico, nem cultural!!! Pena.

26 de Novembro às 14:24

Sávio Nascimento vamos compartilhar essa notícia a favor de uma atitude cultural.

26 de Novembro às 14:33

Rhee Charles Santos eh foda! lastimável!

26 de Novembro às 14:35

Camila Botti Conselho serve para enaltecer o povo com sua cultura !

26 de Novembro às 14:37

Camila Botti Sabiam?

26 de Novembro às 14:37

Ariane Renunci É um absurdo! Com tanta verba de incentivo a Cultura… é triste como Juiz de Fora está jogando uma história tão rica no lixo. Eu não cheguei a conhecer, mas já ouvi falar muito do colégio Magister, que teve o mesmo destino. Muito triste!

26 de Novembro às 15:14

Afonso Rodrigues Oi Driê. Uma vez li num grafitti de muro de uma casa demolida em Ouro Preto uma frase pixada que era atribuída a Dona Olympia, personagem marcante da cidade, que dizia: “Lá vai Ouro Preto indo embora, todo mundo ri, ninguém chora”. Pois é, lá vai Juiz de Fora indo embora, todo mundo ri ninguém chora”.

26 de Novembro às 15:15

Raphaela Benetello E Juiz de Fora ainda se mostra como uma cidade que incentiva a cultura. Como entender a perda

26 de Novembro às 15:16

Franco Groia Meus caros, as britadeiras estão lá dentro há quase uma semana (inclusive agora! – que é sábado!). Lamentável… o pior é q parece à classe política local (com raríssimas exceções) que este é um fim inevitável etc

26 de Novembro às 15:29

Chris Bolt lamentável…

26 de Novembro às 15:31

Ludimilla Fonseca Inacreditável.

26 de Novembro às 15:33

Bruno Procopio Nada mais normal !!! Eles destroem tudo para construir estacionamentos !!! E depois que o Bejani parou de roubar com as empresas de ônibus, o trasporte público ficará pior, aumentando ainda mais o número de carros particulares, e por consequência outros imóveis que poderiam ser conservados, serão destruídos…

26 de Novembro às 15:40

Marina Fabri Castro não é de doer o coração…é de matar mesmo!!!

26 de Novembro às 16:56

Du Dú ‎…em JF, meus próprios alunos de 20 anos de idade (estudando Artes/Música) reproduzem o discurso de que patrimônio histórico é um entrave. Comemoram quando prédios desses pegam fogo. Os corretores vibram. Os bombeiros demoram a chegar. A classe política só reflete o desejo da maioria…

26 de Novembro às 17:02

Sandro Santiago É uma inversão dos valores mesmo. É a chamada pós-modernidade…

26 de Novembro às 17:08

Maria Alice de Mendonça Minha alma chora… Tinha esperanças de reviver o cine Excelsior… grande sala que poderíamos usar de tantas maneiras criativas… para as crianças… para os que sofrem… pra trazer alegria… pra compartilhar…. Ela, a arte, impera sem…Ver mais

26 de Novembro às 18:25

Luiza Scher É péssimo isso! as novas gerações vão aprendendo a cultura da não preservação e do desprestígio para com os bens culturais… em JFora isso parece ainda pior…

26 de Novembro às 19:45

Paulo Motta Manchester Mineira… Atenas de Minas… Esse codinomes atribuídos à Juiz de Fora em sua história pregressa são, hoje, apenas nomes sem significado algum. E esta tragédia cultural do Cine Excelcior nada mais é que um capítulo da irresponsa…Ver mais

26 de Novembro às 19:57

Paulo Motta Ótima a sua afirmação, Du Dú. Esse episódio do Cine Excelcior é apenas mais um capítulo do descaso em relação ao patrimônio arquitetônico e à memória afetiva relacionada ao espaço urbano: o interesse econômico travestido de interesse cultur…Ver mais

26 de Novembro às 21:47

Guilherme Renunce Uma pena. Foi o primeiro cinema que fui na vida, quando criança. Isso acontece porque está numa área nobre e tem interesses financeiros por trás. Vai checar a conta bancária de algum secretário da prefeitura pra ver se não tá um pouco mais gorda. Aconteceu com o “castelinho” um pouco mais abaixo na Rio Branco, lembram? Lastimável.

26 de Novembro às 23:29

Luzia Correa Coelho Quando vi na tv me tocou bastante. Como era bom ouvir o dindau ao apagar a luz para começar o filme. Fiquei triste era tão bom. Querem mesmo apagar o que nos dava alegria.

27 de Novembro às 00:14

Ugo Leonardo Soares Silva ‎”Que conta prestará no futuro

aqueles que no presente

não preservaram o seu passado?”

Destruir um patrimônio cultural que faz parte do universo afetivo das vidas de tantas pessoas, em nome do ilógico arroubo capitalista e de uma falsa e retrograda modernidade, é uma atitude no mínimo classificada como imoral.

27 de Novembro às 13:46

——————–

Alessandro Driê Desculpem-me aqueles que não gostam de ser marcados, acho essencial que possamos realizar alguma mobilização.

26 de Novembro às 15:11

Erika Magalhães Absurdo!!!!

26 de Novembro às 15:16

Teily Teles Da pra nos mobilizarmos? Temos tempo de fazer alguma coisa? Se sim, façamos, o quanto antes!

26 de Novembro às 15:45

Fran Guedes O que importa para a maioria das pessoas é a memória do dinheiro que ganham, e não a memória que diz quem são, de onde vieram e para onde vão. Cidade carimbo, sem identidade. Lamentável…

26 de Novembro às 15:49

Paulo Vitor Moreira Lamentável e indignante resumem bem!

26 de Novembro às 15:50

Elaine Pontes Miranda Por que, morando em um país democrático, não fomos consultados sobre o destinho do cinema?????????????????????????

26 de Novembro às 15:56

Cleiton Ribeiro eu vi no dia que eles tava saindo com os bancos do cinema =/

26 de Novembro às 16:06

Sandro Santiago Extremamente lamentável!! É uma agressão isso à memória pessoal de quem assistiu filmes lá desde a infância como eu. E nós nem fomos consultados para dizer o que queríamos em relação ao cinema.

26 de Novembro às 16:36

Sandro Santiago A especulação imobiliária está acabando com o patrimônio arquitetônico, histórico e cultural da nossa cidade. Se não fizermos algo e já, vamos perder essa luta. E esta situação pode se tornar pior. Façamos algo enquanto há tempo. A destruição de casas antigas em Juiz de Fora não pode continuar.

26 de Novembro às 16:45

Lucio Rodrigues essa cidade..essa cidade

26 de Novembro às 16:46

Bruno Guedes Não é de se estranhar que tenha acontecido na administração do Custódio.

26 de Novembro às 16:55

Marcinho Andrade Mas do que necessário nossa mobilização. Me lembro bem de quando ía ao Cine Excelsior.

26 de Novembro às 17:02

Coiffeur Dazzle Juiz de fora já não tem memória e consideração por sua história a algum tempo! Me envergonho de você Juiz De fora.

26 de Novembro às 17:21

Laerte Henrique Fortes Braga O órgão encarregado de preservar o patrimônio cultural, através de seus membros, via de regra nem entendem – existem exceções é lógico – o que seja isso, ou se atêm a regulamentos e lei, quando não são representantes de grupos econômicos, e…Ver mais

26 de Novembro às 17:24

Coiffeur Dazzle Depende de cada um essa mobilização essa passividade brasileira me deixa com vergonha!

26 de Novembro às 17:30

Vera Leitão Estão acabando com a cidade. Fazem estacionamento de verdadeiras obras de arte. Pensei que a sociedade seria cada vez mais humanista , está cada vez mais automóvelista. Esta cada vez mais feia. Fico deprimida quando passo pela ex Avenida . …Ver mais

26 de Novembro às 17:52

Vera Leitão automobilista , seria a palavra e os valores.

26 de Novembro às 17:53

Solange Irene aff… sem noção…

26 de Novembro às 18:29

Edson Leão Ferenzini Mais um CRIME contra a memória de Juiz de Fora, a cidade dormitório sem passado, a cidade dos “plantadores de edifício” que inflacionam os preços dos aluguéis até estagnar a economia, a cidade “estacionamento” que vomita carros pra todos os…Ver mais

26 de Novembro às 18:32

Angelica Ignacio Triste! Apagando uma parte da Historia da cidade, será que ainda dá para reverter isso? 🙁

26 de Novembro às 19:45

Alexandre Oscar A história se perde na própria história… !!! O dinheiro importa mais… infelizmente

26 de Novembro às 20:40

Flávio Cheker Aline Freitas e pessoal todo, repito a informação que passei em meu mural: em março deste ano entrei com mais uma solicitação de declaração de interesse cultural do Excelsior, e, desde então, aguardo resposta da PJF!! Informei também que já foram feitos contatos com o MP. Mas é fundamental a mobilização de todos para tentarmos reverter o descaso e insensibilidade do Poder Público!

26 de Novembro às 20:59

Noah Mancini bem melhor fazer algo do q toda aquela decadencia abandonada

26 de Novembro às 21:10

Laerte Henrique Fortes Braga O vereador Flávio Cheker é um dos que pode ser, tranquilamente, incluído entre aqueles que têm caráter e lutam a luta popular. A informação que ele passa é preciosa. Mobilização é fundamental como ele diz, pois estamos sendo governados por …Ver mais

26 de Novembro às 22:58

Alessandro Driê ‎Laerte Henrique Fortes Braga, uma observação, o filme a que vc se referiu, foi a primeira versão, pois uma segunda foi lançada este ano, e será exibida na abertura do Festival Primeiro Plano na segunda-feira.

26 de Novembro às 23:15

Alessandro Driê ‎Flávio Cheker, seria bacana postar novamente no seu mural ou compartilhar o link, aproveitando o momento.

26 de Novembro às 23:50

Laerte Henrique Fortes Braga Alessandro a primeira versão de fato e o ator principal era Leonardo Vilar. O que é curioso é que o festival foi organizado e patrocinado pela Câmara. Isso em tempos que existiam mais que três ou quatro vereadores e Câmara como representação popular tinha algum sentido, além de curral do Executivo. Repito, com as exceções que todos conhecemos.

27 de Novembro às 01:32

Ruy Mascarenhas É uma pena mesmo. Ou estão destruindo ou simplesmente descaracterizando o que ainda resta do patrimônio histórico e cultural da cidade. Sem contar também que estão cortando cada vez mais árvores na região central da cidade. Juiz de Fora esta se tornando uma cidade feia.

27 de Novembro às 01:54

Lucio Rodrigues o cine excelsior está fechado e as traças a trocentos anos e essa cidade vem sendo governada pelas mesmas traças a trocentos anos também,e agora como tudo nessa cidade ,começa o nhenhe nhem,culpa é fulano ,é beltrano,e as currutelas pondo panos quentes,putaque pariu pra essa cidade.

27 de Novembro às 02:46

Dany Assis De fato é lamentável e uma vergonha reconhecer o desinteresse em preservar a história e cultura da cidade…

27 de Novembro às 12:31

Daniel Candian Juiz de joga tudo forA

27 de Novembro às 14:15

Laura Castro ‎”Sem interesse cultural”? Como assim, COMPAC? É triste receber uma notícia desses, bem na véspera dea estréia do Festival Primeiro Plano…

27 de Novembro às 14:16

Cristina Farage Até quando um conselho nomeado para representar interesses comuns tem direito de dizer não à sociedade?

27 de Novembro às 15:32

Gian Martins ‎Alessandro Driê escreveu um texto publicado no blog do Coletivo Sem Paredes

28 de Novembro às 03:42

Gian Martins http://coletivosemparedes.wordpress.com/2011/11/27/o-nao-belo-desmonte-do-cine-excelsior-de-juiz-de-fora/

O não belo desmonte do Cine Excelsior de Juiz de Fora.

www.coletivosemparedes.wordpress.com

28 de Novembro às 03:42

Vinicius Menezes Absurdo, lamentável, previsível. Vamos nos lembrar na hora de votar…

28 de Novembro às 13:26

Patrícia Almeida DriÊ, querido amigo, arquiteto,

29 de Novembro às 02:11

Patrícia Almeida lamento, choro e sinto a falta do Excelsior. Mas somos parte e filhos dele. Ele nos partou e nos abortou. Ele nos ver filmes e nos fez sentir importantes. O Excelsior não existe mais, somente sua arquitetura ficou cravada em nós. Busque o nome de seu autor. Se oriente por ele. Trace sua cavalgada e relance nos meandres da história o seu Excelsior. Eu levarei Deus e o Diabo na Terra de Itamar. E ouça, Itamar na época er um simples engenheiro… vc já é mais do que isso. Abraço e viva a zona na mata do Krambeck!!

29 de Novembro às 02:16

Savio Costa Falou tudo o Vinicius vamos lebrar disso na hora de votar!!!!!!

29 de Novembro às 22:20

Bia Fabrino Absurdo!!! Apenas mais um ABSURDO!!! Essa notícia fez doer meu coração… e o que vai ser feito no lugar? Estacionamento ou igreja evangélica (nada pessoal)…

30 de Novembro às 00:25


Leia o post anterior:
Capa 2011-12-11
Garganta virtual: novo grito surge nas redes sociais e se transforma em campanha pelo resgate do Cine Excelsior

Matéria publicada no jornal Tribuna de Minas, de 11 de dezembro de 2011.

Fechar